quarta-feira, fevereiro 04, 2009

O que o Produtor Cultural Independente fez em Janeiro de 2009


Imagem livre do site www.morguefile.com


Por Alê Barreto

O Produtor Cultural Independente iniciou 2009 mais propositivo. Os conteúdos disponibilizados na virada do ano e no mês de janeiro de 2009 buscaram apontar caminhos possíveis para iniciarmos um novo ciclo de atividades culturais com pé direito.

A primeira mudança foi a proposta de 10 idéias para fortalecer suas ações culturais. Dando seqüência a estas idéias, falamos sobre redes, estratégia, autoconhecimento e avaliação de riscos, ação cultural e sustentabilidade.

A segunda mudança foi procurar facilitar o acesso das pessoas a importantes mudanças que estão ocorrendo na cultura do país. Republicamos a reportagem “Muito para Poucos”, de Larissa Guimarães, publicada originalmente na Folha de São Paulo, importante por esclarecer distorções que ocorrem num dos principais mecanismos de financiamento público da atualidade no Brasil, que é a Lei Rouanet. Falando ainda da Lei, divulgamos a implantação do novo sistema de apresentação de propostas culturais. Por fim, apresentamos vários links onde podem ser acompanhadas as principais mudanças que estão sendo implementadas pelo Ministério da Cultura em nosso país.

A terceira mudança foi facilitar o diálogo entre a produção cultural e fatos da atualidade. Para isso, apresentamos informações relacionadas a reforma ortográfica, Campus Party e a Crise Econômica Internacional.

A quarta mudança foi ampliar o debate sobre o ensino de produção cultural no Brasil através do texto “Como educar as pessoas para a Produção Cultural”, que também foi publicado no site Overmundo.

A quinta mudança foi oferecer dicas práticas para sustentabilidade de um projeto cultural. Foi apresentado um roteiro inicial de captação de recursos para projetos culturais.

Todas estas mudanças tem por objetivo contribuir para a construção de um amplo roteiro livre para organizar sua ação cultural.

Um comentário:

Marco Barboza disse...

Caro Alê,
admiro muito o trabalho que vc tem feito neste blog e queria dizer que determinei, após completar os 41 anos de idade e 25 de informática, a ser um Produtor Cultural. Isso mesmo, vou mudar de profissão, com o maior prazer!

Gostaria na verdade de chamar a atenção para o curso de Graduação da Universidade Cândido Mendes/RJ, de Produção Política e Cultural. Comenta-se muito em MBA e Pós, mas, fala-se pouco neste curso que já foi muito bem recomendado.
Parabéns mais uma vez!!!

Marco Barboza/RJ