quarta-feira, janeiro 21, 2009

Saber interpretar informações econômicas fortalece a estratégia de um produtor cultural independente



Por Alê Barreto


Se você não estudou economia e estava "boiando" sobre o que era a tal da "crise", com certeza o vídeo inteligente e criativo do jornalista Marcelo Tas (a Crise no Taxi) contribuiu para que você comece a aprender a interpretar informações econômicas.

Mas afinal, você pode estar se perguntando: porque é importante saber isso? O meu projeto cultural nada tem haver com isso. Tem sim. Muito mais do que você imagina. A questão é que em geral não estamos acostumados a "conectar" economia com cultura.

Nos últimos dias, revendo meu próprio planejamento, percebi que posso contribuir muito com as pessoas que também estão fazendo seus projetos culturais independentes, que estão "desenhando a estratégia" das suas próximas ações, se falar um pouco sobre a importância de aprender a interpretar informações econômicas.

Um produtor cultural independente deve ter noções mínimas de economia, para que não fique à mercê dos ventos soprados pelos meios de comunicação.

Um bom exemplo do que estou falando são as atuais notícias sobre a crise financeira internacional. Ou crise mundial. Ou crise internacional. Ou tantos outros nomes que estão dando para o mesmo assunto.

Até assistirmos ao vídeo, talvez soubéssemos muito pouco sobre o assunto. Mas já podemos afirmar que sabemos o que é esta crise? Temos noção do impacto dela na economia do Brasil? Na economia do nosso estado? Na economia de nossa cidade? Na economia da cultura do local onde vivemos?


Vídeo "A Crise dentro do Mercado" (Marcelo Tas)

Acho importante que a gente se faça estas perguntas e procure respostas. Primeiro, porque é um fenômeno que causa impacto na economia de muitos países, inclusive o nosso. Segundo, porque uma vez superada esta crise, virão outras crises. E mesmo em meio a sucessão destas crises, a nossa vida não para, os nossos sonhos não param e esta vida (mesmo que tenhamos outras)um dia irá terminar.

Estou provocando você com este assunto para que você entenda que de alguma forma as nossas idéias ou os nossos projetos necessitam de recursos financeiros. E a maior ou menor disponibilidade de recursos financeiros está relacionada com um contexto econômico mundial, que interfere na atividade econômica do nosso país, do nosso estado e da nossa cidade. E os impactos desta maior ou menor disponibilidade de recursos financeiros não serão os mesmos para todo mundo. Logo, não há respostas ou fórmulas prontas, do tipo "faça isso". Não adianta ficarmos amedrontados com as notícias e abandonarmos as nossas idéias. E também não dá para simplesmente acharmos que somente oração, nossa intuição ou nosso pensamento positivo irão garantir que os nossos projetos aconteçam.


Vídeo: A crise dentro da cabeça (Marcelo Tas)

Por fim, eu proponho que a gente supere a dificuldade de lidar com o assunto "dinheiro" e aprenda noções de economia. Um bom começo é o livro "Aprender Economia", do professor Paul Singer. Trata a economia numa linguagem acessível e, didaticamente, consegue transmitir conhecimentos indispensáveis ao exercício da cidadania.

Um comentário:

peri doria disse...

Preciso de patriocinio para meu filme!