quarta-feira, abril 29, 2009

Livros para pensar a cultura sobre vários ângulos

Por Alê Barreto (alebarreto@produtorindependente.com)

Terminei a minha faculdade em 2006. Em agosto deste ano, viajei para Salvador para pesquisar informações sobre o mestrado do Programa Multidisciplinar em Cultura e Sociedade da UFBA. Na época, fui muito bem atendido pela professora Gisele Nussbaumer. Em 2007, segui a minha pesquisa para saber no que eu iria fazer a minha pós-graduação. Fui até o Programa de Pós-Graduação em Antropologia da UFRGS, em Porto Alegre, e a coordenadora me orientou a cursar algumas disciplinas de antropologia, para eu ver se era isso mesmo que eu queria. Então ingressei como aluno especial e cursei "Introdução à Antropologia" e "Antropologia Simbólica", esta última com o antropólogo Carlos Steil. Paralelo a isso, fui até o Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRGS e pedi para a professora Marisa Cristina Vorraber Costa para ser aluno ouvinte do seminário "Implicações da Cultura na Educação". Nesta disciplina, conheci o livro "A Conveniência da Cultura na Era Global"




do pesquisador George Yúdice.


Depois de sair de um curso de administração, fazer uma monografia sobre sistema de informações de marketing para financiamento da música, ir para Salvador, voltar para Porto Alegre e estudar a cultura do ponto de vista da antropologia e da educação, precisei de um tempo para "digerir" todas estas informações.

Feita digestão em 2008, decidi retomar a minha busca em 2009. Atualmente estou fazendo o curso de extensão universitária "Micro e Macro Economia da Cultura", na Cândido Mendes, que é uma disciplina do MBA em Gestão Cultural desta universidade.

Tenho aprendido muito com os professores (que são também pesquisadores) e queria já compartilhar duas dicas com todo mundo: a primeira é que todo mundo leia o livro "Marketing Cultural e Financiamento da Cultura", da Ana Carla Fonseca Reis, que relembrei que utilizei na minha monografia na faculdade.





A segunda é o livro "Economia da Cultura: a força da indústria cultural no Rio de Janeiro", que foi indicado em sala de aula pelo Luis Carlos Prestes Filho, um dos autores do livro.





Achei interessante compartilhar estas dica, pois os produtores culturais independentes precisam ter acesso a informações que auxiliem a organizar melhor o setor cultural brasileiro.

4 comentários:

palavras do cardozo disse...

Cara passei aqui para parabenizà-lo pelo blog, sempre o acompanho .O mais interessante é que temos um perfil muito parecido eu sou estudante de administração e pretendo fazer gestão cultural como pós graduação.Embora tenha resistido cursar adm. com o seu blog pude perceber que estou no caminho certo...
Forte abraço,
Diego Cardozo .
*preciosas dicas literárias ,obrigado.

Alê Barreto disse...

Valeu Diego!
Que bom que o blog auxilia você!
Forte abraço!
Alê Barreto

lou disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Christian Camilo disse...

eu ja li essa bibliografia que você indicou..é boa, mas ainda que a produção nesse segmento é pouca e acho que tem muita coisa escrita nos eua que deveria chegar ao nosso conhecimento com mais facilidade...