quarta-feira, maio 09, 2012

A polêmica exposição de Damien Hirst: negócio ou arte?





Por Alê Barreto*
alebarreto@gmail.com




O jornalista Silio Boccanera inicia o programa Starte da Globo News, cujo tema é "Artista plástico polêmico tem vendas recordes e se torna o mais rico do mundo", com a seguinte pergunta:


"(...) estamos diante de obras de arte ou de apenas um esquema promocional com alto interesse comercial"?


Ele fala da polêmica que paira sobre a exposição de retrospectiva de 20 anos da carreira do artista contemporâneo britânico Damien Hirst.


Críticos acusam o artista de não ter preocupação com aspectos estéticos. 


Exposições "blockbusters" são um problema ou um dos caminhos para as quais a arte se dirige?


Assista o programa neste link e tire suas conclusões.


Deixo para você mais uma pergunta: é possível alguém escolher viver da arte, como profissão, sem se preocupar com o retorno financeiro desta atividade?




[Multipliquem em suas redes sociais, blogs, sites e mailings. Este blog recebeu até agora 186.325 visitas e 397.663 visualizações]



********************************************************************************



Alê Barreto é formado em Administração com Ênfase em Marketing pela Escola de Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Suas competências profissionais vem sendo construídas através de sua experiência de vida com artistas independentes, shows nacionais (Acústico MTV Bandas Gaúchas), shows internacionais (Avril LavigneSteel Pulse), festivais (Claro que é Rock, "IBest Rock", Live n´ Louder), grupos culturais (Nós do Morro), espetáculos de teatro (Os Dois Cavalheiros de VeronaMachado a 3x4 e Missa dos Quilombos), projetos sociais (Sistematização de Experiências de prevenção à violência contra jovens de espaços popularesRebelião CulturalNós do Morro 20 Anos), redes (Rede Acreana de CulturaRedes e Agentes Culturais das Favelas Cariocas), atividades formativas (Aprenda a Organizar um ShowAprenda a Produzir um ArtistaPresença Digital Saudável), espaços de discussão e reflexão (Observatório Criativo), OSCIP (Observatório de Favelas) e gestão de carreiras artísticas (foi empresário da banda banda Pata de Elefante em 2007 e um dos produtores executivos do disco "Um olho no fósforo, outro na fagulha", um dos melhores discos de 2008, segundo a revista Rolling Stone Brasil).

Escreve com frequência no blog Produtor Cultural Independente, canal de disseminação de informações (saiba mais), é autor do livro "Aprenda a Organizar um Show", colunista da revista Fazer e Vender Cultura e possui diversos textos recomendados na página de cultura e entretenimento do SEBRAE e em trabalhos de graduação e pós-graduação.


Desde de 2010 é aluno do Programa de Estudos Culturais e Sociais da Universidade Cândido Mendes, onde cursa a pós-graduação MBA em Gestão Cultural.

********************************************************************************


Alê Barreto é cliente do Itaú.

Um comentário:

Allisson Franklin disse...

O link está inviável parceiro e gostaria muito de assistir para tirar uma dúvida. se vc puder me ajudar. No final do programa eles mencionam um critico de arte estrangeiro que fala: a arte é o que nos toca.

Gostaria muito de saber o nome desse crítico, se vc puder me responder já ajuda.

Valeu!