sexta-feira, setembro 09, 2011

Participação na rede: a troca nos leva muito além do texto





Por Alê Barreto*
alebarreto@gmail.com


Ontem concluí a disciplina "Novas mídias na comunicação corporativa" com o Walter Romano, no MBA em Gestão Cultural da Universidade Cândido Mendes.

Ficou muito claro para mim que preciso ampliar o meu aprendizado sobre "como dialogar mais com as pessoas". Ir além do conteúdo relevante.

Quero que as pessoas comecem não apenas a visitar o blog. Quero que as pessoas participem.

Eu sou um. Mas em rede (blogs, facebook, redes sociais, etc.) somos 5.000 pessoas. Existem no mínimo mais 4.999 cabeças pensantes que podem contribuir para produção de conteúdo útil para todos que buscam dicas úteis e informações no blog.

Ontem, a Mil Lagos, uma das 4.999 cabeças pensantes, participou do blog. Foi além do texto. E sua reflexão é muito boa.

Leia o que ela pensa sobre produção cultural. Perceba como ela soube compreender a grandeza do conceito (que é algo para pensar) e a necessidade de organização e especialização na vida prática (que é algo prático).


[início do comentário da Mil Lagos]


Olá Ale! Tudo bom?
Interessante ver como o nome "produtor cultural"se torna mais amplo do que a própria atividade dele em si e onde ele se situa no organograma de uma atividade cultural. Esse nome é sem dúvidas o termo chefe para tudo relacionado ao desenvolvimento do produto cultural, tudo em volta da arte ou projeto em si.

Quando entrei para a produção cultural, ha 12 anos atrás, lembro que achei informações sobre a profissão em um desses livros para alunos que vão prestar vestibular, livro de aptidão profissional. Porém de uns 2 anos pra cá quando vou me colocar profissionalmente não utilizo mais "produtor", pois além desse termo abraçar todas as atividades ele também se coloca num organograma com uma função específica.

Veja bem, eu produzi por mais de 10 anos (hoje tenho 31) grupos de teatros, participei de festivais por todo o BR (trabalhei no Grupo Galpão) e meus últimos trabalhos foram com eventos empresariais. Porém tenho direcionado cada vez mais minhas atividades para o campo da gestão.

Nesse caso eu defino gestão cultural ou gestão de eventos a coordenação de um planejamento do produto cultural. Nele eu tenho o produtor executivo - esse termo que está ligado ao "produtor cultural", o adminsitrador financeiro, a assessoria de imprensa (acho que ainda hoje temos muita falha nesse campo para a cultura), etc. O último trabalho que realizei foi agora em julho, coordenei a logística do Savassi Festival (Festival de jazz em Belo Horizonte, RJ, SP e JDF) - estou fora do BR por 2 anos.

Eu vejo cada vez mais dentro desse termo "produtor cultural" a necessidade de se trabalhar com funções especializadas e específicas. Acho que é importante tanto outras áreas se especializarem mais na produção cultural quanto o produtor buscar seu foco de trabalho. Acredito que o produtor "faz tudo" está cada vez mais obsoleto - como o termo geral abrange.

Eu não trabalho mais com um produtor faz tudo para prestar contas numa lei de incentivo, por exemplo. Acho mais adequado um contador ou administrador se especializar no campo da cultura e desenvolver essa atividade com todos os requerimentos necessários. Mas para isso ele também tem que buscar sua especialização na cultura, para entender todos os processos que diferenciam de outras atividades não artísticas.


Bem, só pensamento. Grande abraço e tudo de bom


[fim do comentário da Mil Lagos]


E você, o que pensa sobre o conceito de produção cultural? O que pensa sobre as ideias da Mil Lagos?

Lembre: participar irá levar você além do texto.



*********************************************************************************



Pare de fazer tudo sozinho.
Venha participar de um grupo!


O Produtor Cultural Independente está construindo a próxima turma do curso "Aprenda a Produzir um Artista" no Rio de Janeiro. O curso faz parte do Programa Produtor Cultural Independente

É fácil participar.

O curso tem previsão de realização dia 17 de setembro (sábado), das 14h às 18h.
Já temos 3 pessoas inscritas. Para acontecer nesta data, precisamos de mais 7 pessoas.

Clique aqui e veja como se inscrever


*********************************************************************************



* Alê Barreto é um administrador e produtor cultural independente. Trabalha com foco na organização e qualificação dos profissionais de arte, comunicação, cultura e entretenimento. É autor do livro Aprenda a Organizar um Show, primeira publicação livre na internet em língua portuguesa sobre produção de shows, escreve para o site Overmundo e para a revista Fazer e Vender Cultura.

Cursa o MBA em Gestão Cultural no Programa de Estudos Culturais e Sociais da Universidade Cândido Mendes. Ministra cursos, oficinas, workshops e palestras. Presta consultoria e assessoria para artistas, produtores, empres e projetos. Reside no Rio de Janeiro.

+ 55 21 7627-0690 (Claro)


* O blog Produtor Cultural Independente está em atividade desde 2006. Possui mais 700 posts e links de seus conteúdos são enviados para 4.808 pessoas através de redes sociais. Faz parte da Rede Produtor Cultural Independente, uma rede de conteúdos composta pelos blogs Produtor Independente (592 seguidores), Blog do Alê Barreto (55 seguidores), Aprenda a Organizar um Show (32 seguidores) Aprenda a Produzir um Artista (16 seguidores), Encantadoras Mulheres (13 seguidores) e Aprenda a divulgar seu evento (2 seguidores).



Alê Barreto é cliente do Itaú.

2 comentários:

Sam Sobral disse...

Muito bom, Alê!
Já está colocando em prática o que aprendeu nas aulas!
um abraço,

Alexandre Barreto disse...

Oi Samantha!
Vamos colocar tudo em prática!
O diálogo é a melhor coisa do mundo!
Um abraço!
Alê