quarta-feira, dezembro 08, 2010

Como circular um trabalho em várias cidades?


Nei Lisboa dando um autógrafo para minha amiga Vavá Linda Jones, no show "Vapor de Estação", realizado em parceria com Ana Lombardi e Maria Braga, no Teatro Rival, no Rio de Janeiro, com patrocínio para circulação pelo programa Petrobras Cultural. Direto do facebook de Rodrigo Sabatinelli


Por Alê Barreto*


Ah, a tal da "circulação". Todo mundo quer tocar em outra cidade. Todo mundo quer participar de mostras e festivais pelo Brasil. Todo quer fazer exposições em novos lugares. Todo mundo quer levar a sua arte para toda parte. Em fez de gastarmos tempo pensando se é difícil, vamos gastar este mesmo tempo, que é um recurso escasso, limitado e não renovável, buscando entender o que é possível fazer.


Entendendo um pouquinho a lei da Oferta e da Procura

Se todo mundo quer fazer circular o seu trabalho, significa que muitas pessoas querem "oferecer" serviços ou produtos de arte, cultura, comunicação e entretenimento. Para que estes serviços sejam contratados, é preciso que haja procura por estes serviços.


Quem pode estar procurando pelos meus serviços?

Esta simples pergunta pode nos ajudar muito. Quando há procura pelo que queremos fazer, fica mais fácil realizar.

Temos interessados diretos e indiretos.


Quem são os interessados diretos?

Aqui muita gente se perde. Os interessados diretos, na minha opinião, são as pessoas que decidem. No processo de compra, estas pessoas desempenham o papel que chamamos de "decisor".

Logo, pessoas interessadas são pessoas que decidem quais artistas serão contratados.

Exemplos mais comuns: dono, gerente ou produtor de casa noturna, que programa as datas dos shows e espetáculos. Dono da galeria que agenda as exposições de artes visuais. Organizador do cineclube. Responsável pela pauta do teatro que recebe propostas de teatro, dança e performance. Agência promotora de eventos que presta serviço para festivais, feiras, mostras, rodeios e festas populares junto à prefeituras.

Grave isso: sua proposta terá melhores resultados se for recebida por quem decide.


E se eu não conheço os interessados diretos?

Comece pesquisando quem são os interessados indiretos. São pessoas que sugerem contratações, que influenciam na decisão de contratação.

Exemplos mais comuns: pessoas que já manifestaram admiração pelo seu trabalho, como amigos, colegas de trabalho, fãs e formadores de opinião (jornalistas, produtores, escritores, etc) ou pessoas que já conhecem e aprovam o seu trabalho

Interessante: às vezes, mobilizar interessados indiretos é uma boa maneira de persuadir interessados diretos a contratarem o seu trabalho.


Como funciona a lei da Oferta e da Demanda na prática?

Além de muitas vezes não sabermos utilizar o nosso tempo para chegar aos potenciais ou reais interessados, ainda acreditamos cegamente em frases como "há público para tudo" ou "dinheiro existe, o que falta são bons projetos".

Tenha prudência e vá aprimorando sua estratégia. Na prática, há muito mais gente querendo se apresentar do que pessoas querendo contratar artistas.


Como posso fazer a lei da Oferta e da Demanda jogar ao meu favor?

Ter uma visão realista sobre o seu trabalho ajuda muito. Não adianta encarar a vontade de circular por várias cidades como uma criança que quer porque quer ganhar um brinquedo. Enquanto você está pensando em como fazer isso, há muito gente que faz isso há anos. Você nem era nascido e já tinha gente fazendo isso.

Organize sua agenda de maneira que você consiga ter tempo para aprimorar o que você faz e cada vez mostrar isso para mais pessoas interessadas em contratá-lo ou interessadas em representá-lo junto a contratantes.


Trabalhar sozinho para levar meu show para outra cidade com profissionais intermediários?

Muitas vezes, achamos que o melhor a fazer é encontrar um produtor que faça tudo. Nossa vocação é artística. Mas veja: assim como há muito mais gente querendo se apresentar do que pessoas querendo contratar artistas, há muito mais gente querendo se apresentar do que pessoas querendo intermediar venda de shows, projetos, mostras, exposições, etc. Nesta situação, muitas vezes o intermediário se vale desta vantagem e presta maus serviços. Mas existem ótimos profissionais que trabalham com ética e seriedade o agenciamento artístico. E também são em menor número do que a quantidade de pessoas com ótimos trabalhos querendo se apresentar.

Aqui acho que o equilíbrio conta muito. Vale a pena fazer parcerias, sem deixar de aprender a gerenciar a própria carreira. Enquanto não surge um parceiro que possa levar a proposta de seu trabalho para uma pessoa interessada em outra cidade, vá a luta. Aprenda a vender. E quanto tenta vender, continue procurando parceiros.

A sensação de que todos os dias você está fazendo algo pelos seus objetivos é um ótimo energético para estimular a continuidade de seu trabalho.


Já que o tema é circulação...

Lembrei que também, como produtor, estou na batalha pela circulação dos meus trabalhos e projetos.



Graças a parceria com o Santander Cultural, que possui um importante trabalho de fomento aos artistas e produtores independentes, e a parceria com a Janaína Magalhães, gestora cultural, vou circular a atividade de formação e capacitação "Aprenda a Organizar um Show" nos próximos dias 15 e 16 de dezembro em Porto Alegre. A última turma do curso foi realizada na Unisinos e o curso já circulou pelos estados do RJ, DF, GO, AC e MG.

Agradeço também a divulgação que está sendo realizada pela Porto Web, pelo Conselho Municipal de Cultura de Porto Alegre e pelo Observatório de Cultura da Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre.

Duas dicas:

- como acesso e compartilhamento são as bases do meu trabalho, será a primeira turma do curso em que vou fazer uma promoção similar a compras coletivas. Quanto mais gente participar, mais acessível fica para todos. Saiba mais

- como participar: entre em contato e faça sua inscrição com a Janaína Magalhães (51)9115-5321 ou janaina.cultur@gmail.com

*********************************************************************************



* Alê Barreto é um administrador que gosta de arte, cultura, comunicação e entretenimento. Compartilha conhecimentos e suas experiências. Gosta de planejar e de meter a mão na massa. É também autor do livro Aprenda a Organizar um Show, primeira publicação livre e gratuita no Brasil sobre a tecnologia de produção de shows.

Trabalha sua presença digital saudável nos blogs Alê Barreto, "Aprenda a Organizar um Show" e Encantadoras Mulheres.

Recomenda a todos que conheçam a Associação Brasileira de Gestão Cultural e o SEBRAE.

21-7627-0690 (Rio de Janeiro)
alebarreto@gmail.com

2 comentários:

Luciana Porto disse...

Excelentes dicas, ótimo texto.Valeu!

Alexandre Barreto disse...

Obrigado Luciana!
Valeu!