quarta-feira, setembro 05, 2018

Uma formação para gerar mais ensino transformador





Por Alexandre Barreto*


Em meu texto "O Produtor Independente vai ampliar sua linha editorial", publicado em 2017, fiz um breve retrospecto da trajetória deste blog. Falei sobre o que me levou a criar este blog e sobre as realizações mais significativas. Tudo isso para mostrar um pouco do que esta caminhada produziu em minha vida. Por fim, falei da minha percepção de começar a disseminar mais conhecimentos, que não fossem apenas relacionados a produção e gestão cultural, produção executiva de shows e eventos ou carreiras artísticas. Vivendo um momento de vida bem diferente do que eu vivia quando iniciei o blog, cheguei a conclusão de que novas formas de perceber o mundo pedem uma nova produção de conteúdo. Comecei a escrever.

Falei sobre cidades inteligentes e desenvolvimento. Falei sobre uma mulher que é um exemplo de ética no uso de recursos financeiros. Falei sobre uma escola de música que transforma uma comunidade em guerra. Falei sobre um ator que teve sua vida transformada pelo teatro. Falei sobre inspiração a partir das coisas que a gente não consegue concluir. Falei da riqueza de se ter várias perspectivas. Estes e outros assuntos eu ia intercalando com os temas tradicionais do blog. Dei destaque para assuntos relacionados à Educação. Paralelo a isso, também do ano passado para cá, participei de um programa de pré-aceração de empresas inovadoras e startups onde o meu projeto foi de uma Edtech. Propus uma solução tecnológica para que facilitasse um processo de aprendizagem.

Hoje, olhando para trás, percebo que a criação do Programa Produtor Cultural Independente lá em 2011, constituído de cursos livres, para ampliar a oferta de ensino profissional, e a vontade de falar mais sobre Educação aqui no blog foram sinais de que se aproximava um novo momento importante em minha vida. O momento de que estou falando é o meu ingresso no Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT) no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre (IFAC), na cidade de Rio Branco. O curso tem como objetivo proporcionar formação em educação profissional e tecnológica, visando tanto a produção de conhecimento como o desenvolvimento de produtos, por meio da realização de pesquisas que integrem os saberes inerentes ao mundo do trabalho e ao conhecimento sistematizado.

A turma do curso em ordem alfabética:

Alexandre Barreto
Celle Cristianne Mendes Evangelista Belchior
Danielle Jacob Serra do Nascimento Rezende
Edvan Ferreira de Meneses
Elane Cristine Almeida da Silva
Francisco Cláudio Rodrigues Barbosa
Francislene Rosas da Silva
Jefferson Teixeira Sarmento de Lima
Josiane Aparecida Antonia Cestaro
Luana Roberta Souza Araujo Lima
Maria Cecília Pereira Ugalde
Maria Lionilde Araújo da Silva
Nick Andrew Pereira Ugalde
Patricia Haeser Ferreira Nery
Pollyana Rufino de Souza Oliveira
Roger Correa de Oliveira
Ronegildo de Souza Silva
Viviane Sampaio de Souza

A aula inaugural, que foi em 20 de agosto, teve um momento de boas vindas realizado pela professora Rosana Cavalcante dos Santos, reitora do IFAC, pelo professor Luís Pedro de Melo Plese, pró-reitor de Pesquisa, Inovação e Pós-Graduação, pelo diretor geral do Campus Rio Branco Wemerson Fittipaldy de Oliveira, pelo professor César Gomes de Freitas, diretor de Ensino, Pesquisa e Extensão do Campus rio Branco e pela professora Amélia Mª Lima Garcia, Coordenadora Substituta do Programa de Pós Graduação em Educação Profissional e Tecnológica (PROFEPT). Foi muito interessante a história da criação do programa de pós-graduação, relatado pela reitora.

O segundo momento do dia foi a apresentação do programa de pós-graduação, realizada pela professora Amélia, também muito interessante.

O terceiro momento do dia foi a apresentação dos professores. Falaram os professores Luís Pedro de Melo Plese, João Ricardo Avelino Leão, César Gomes de Freitas, Charles Roweder, Josimar Batista Ferreira e a professora Amélia.

À tarde aconteceu o quarto e último momento do primeiro dia. Conhecemos a professora Josina Maria Pontes Ribeiro que ministrou a aula "Educação Profissional e Tecnológica: reflexões sobre o contexto histórico e  bases conceituais". 

Ao fim do primeiro dia, já deu para sentir algumas características que serão a tônica desta nova etapa: estudo analítico, imersão nas bases conceituais da Educação, multidisciplinaridade e pesquisa. Vem mais coisa boa pela frente.




*************************************







[Gostou do conteúdo? Comente para pessoas que tenham interesse no tema e divulgue no seu mailing e redes sociais. Obrigado! Se você achar que o texto não ficou claro, envie sugestões de melhorias para alebarreto@gmail.com Quero aprender com você. Cadastre-se e receba conteúdos enviando seu e-mail para alebarreto@gmail.com]



*************************************





* Alexandre Barreto é administrador pela Escola de Administração da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (EAD/UFRGS), MBA em Gestão Cultural pela Universidade Cândido Mendes (UCAM) e Associação Brasileira de Gestão Cultural (ABGC) no Rio de Janeiro e mestrando no 
Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica (PROFEPT). Alê é um empreendedor que dissemina conhecimentos e atua em redes para promover mudanças. Escreveu os livros Aprenda a Organizar um Show e Carreira Artística e CriativaSaiba mais

Nenhum comentário: